Eco Serrano


2ª Edição do evento aconteceu no distrito de Lumiar no último final de semana e promoveu ampla discussão sobre consumo e descarte consciente de resíduos sólidos

O “2º Encontro de Inovação na Gestão de Resíduos Sólidos – Conecta Friburgo – Rio” que aconteceu em Nova Friburgo, no Distrito de Lumiar, no final de semana (18, 19 e 20 de novembro), provocou ampla reflexão sobre o consumo e descarte conscientes e a destinação dos resíduos sólidos, considerados ‘lixo’ pela maioria da população.

O evento gratuito foi organizado pelo Grupo de Trabalho em Resíduos Sólidos de Nova Friburgo (GTRS – NF) e Organokits e co-organizado pelo Coletivo Lixo Zero e Instituto Socioambiental Compor, que contou com o patrocínio da Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio do Edital Integra Rio da Secretaria Especial de Integração Metropolitana (SEIM), Faperj e UERJ, e Co-Patrocínio do Comitê de Bacia Hidrográfica dos Rios Macaé e das Ostras e Pousada Caminho das Candeias.

Somando todas as atividades dos dias, foram cerca de 20 horas de palestras, mesas redondas, relatos de experiências, visitas a empreendimentos locais que já implementam a gestão adequada de resíduos, fomentos ao consumo consciente, inclusive com a participação de expositores que atuam com esse olhar para seus negócios, exibição de filmes e presença de representantes do poder público, universidades, escolas e instituições parceiras não só de Nova Friburgo, mas do Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Distrito Federal e cidades vizinhas como Carmo, Casimiro de Abreu, Duas Barras, entre outras. O evento contou com a participação de aproximadamente 300 pessoas, entre público, expositores, convidados e equipe organizadora.

Segundo Carmen Valdez, uma das organizadoras do encontro e representante do Instituto Socioambiental Compor, “a motivação inicial para realizar o evento em Lumiar foi o entendimento de que o Turismo é o vetor econômico da região e é necessário trabalhar o turismo de base sustentável, responsável e ecológica. Precisávamos no mínimo estabelecer uma relação diferenciada com a geração de resíduos sólidos da localidade de Lumiar e São Pedro da Serra e, obviamente, ampliar esse olhar para o município de Nova Friburgo, como um todo”.

O Grupo de Trabalho em Resíduos Sólidos de Nova Friburgo (GTRS – NF) vem levantando uma série de problemas locais de infraestrutura no que diz respeito à gestão de resíduos sólidos junto ao empresariado (donos de pousadas, restaurantes e bares) e aos próprios coletivos que existem na região. “É preciso incentivá-los a ter um olhar um pouco mais criterioso e responsável pelo que geramos em termos de resíduos sólidos. O potencial desdobramento do evento para a comunidade local se configura na adoção da prática da compostagem de maneira mais intensificada, o que significa uma sensibilização com relação a responsabilidade de cada um na geração desse resíduo e provoca a mobilização de todos para uma relação direta junto ao poder público quanto a investimento em ações efetivas de médio e longo prazo, e continuadas”, complementa Carmen.

O GTRS-NF continuará trabalhando e em março de 2023 organiza uma rodada de integração com a cidade do Rio de Janeiro, quando todo o conteúdo apresentado no “2º Encontro de Inovação na Gestão de Resíduos Sólidos – Conecta Friburgo – Rio” contribuirá para a formulação de propostas junto a equipes e coletivos do Rio de Janeiro. Interessados no tema podem entrar em contato pelo Instagram @rsgt_nf ou pelo e-mail rsgtnf@gmail.com e acessar http://www2.iprj.uerj.br/EIGRS.

O ‘lixo’ quando tratado corretamente ganha valor e se torna resíduo

A primeira etapa para garantir uma correta gestão dos resíduos sólidos é entender que estes têm características específicas e que precisam ser corretamente destinados.

Como separar os resíduos em três categorias básicas:

Orgânico – Resíduo ‘molhado’, de origem animal ou vegetal e que deve, preferencialmente, ser destinado a compostagem. Exemplo: restos de comida, cascas de frutas e legumes etc.

Reciclável – Material ‘seco’, com potencial para reciclagem, reutilização, ressignificação e retorno ao mesmo processo produtivo. Devem ser armazenados após higienização e encaminhados, preferencialmente, às cooperativas de catadores. Exemplo: papel, papelão, vidro, metal, plástico etc.

Rejeito – Material que ‘sobrou’ após a separação dos outros resíduos sem possibilidade, até agora, de qualquer forma de reaproveitamento ou reciclagem.

Acesse o grupo de Whatsapp do EcoSerrano através do link: https://chat.whatsapp.com/Ko3N4xTBbHo53tmZ5HtpAb

Redes Sociais do EcoSerrano:
Instagram: @ecoserrano
Facebook: @ecoserranoo

Youtube: EcoSerrano

Texto enviado por Érika Amaral e Scheila Santiago (Burburinho)





Source link